NOME | ALBÚM DURAÇÃO

Home | Vulnerability

Gênesis | Vulnerability

Eva | Vulnerability

Parece Novela | Vulnerability

Vulnerability | Vulnerability

Com Você | Vulnerability

Undergoing | Vulnerability

Chuva de Setembro | Vulnerability

Testimonial | Vulnerability

Ainda é Novembro | Vulnerability

Silêncio | Vulnerability

Isli Melanie
  • 29.10.16 / 
  • Crônicas

Ballet

[Há quem tente aprender mesmo com quem desconheça quase tudo.] Não aprendeu a dançar. [E há quem queira ensinar aquilo que não sabe.] Nem aprendeu a dançar. [Embrutecia-se sob o casco. Um ombro amigo parecia-lhe mais perene do que a entrega. A natureza da mente humana é pura sobreposição de forças, pois superior é aquele que domina seus monstros. Foi um vazio que nunca foi cheio e depois se esvaziou. Sempre foi esse vazio, esse vazio de que fala. Na vida, foi sendo fácil; dizia o não. Somente porque não sentia nada.] O corpo balança cinquenta quilos – e umas cento e trinta calorias do último pacote de biscoitos. Nem aprendeu a dançar, e o corpo balança – balança cinquenta quilos, feito cimento empedrado no saco. [Se tudo tivesse sido como tinha de ter sido, talvez tivesse sido alegre, mas em absoluto tédio também poderia ter seguido. Felicidade é arco-íris no sal das lágrimas. Dos medos clássicos, o clássico dos clássicos é o medo do escuro. Teve medo do escuro. Deixava a luz acesa.] A grandeza do mais elevado espírito ainda vivia. Viram, alguns, seus pelos. Guenzo ventre que tremia. Gentilmente, desabrochava o amor. Humilité, égalité et servitude. [Ora, fêmea – ovários, cintura, quadril. Voa no verão. Pousa no inverno. Canta cantos fêmeos, das cheias de graça, velhos cantos das marias. Não assegura seu prazer às raízes do enfado. Realidade foi dúvida; desequilíbrio de angústia.] Aprendeu o verbo entregar. Pronominalmente. A flor surgia, abria-se, abria-se, entregava-se, abria-se, crescia, crescia… O calor; o corpo exauria, desejo havia. Havia. Dorénavant. Tinha a bailarina nos braços. [A vida sem fantasia desmorona, cinza, sobre suas cabeças.] Como bailarina em seus braços. Il n’y a rien de tel qu’un grand et profond spetacle. [Tocou-lhe a face e disse que ficaria ao seu lado. Preparou-lhe café, almoço, jantar. Viu o dia passar por entre suas pernas compridas. Não pensou em céu. Ou em inferno. O único critério para acreditar na consciência foi ver que ela persiste além de si.]

 

isli melanie

error: Este conteúdo está protegido